PESQUISAR ESTE BLOG

SIGNIFICADO DOS NÚMEROS - NUMEROLOGIA BÁSICA - CASA - COMÉRCIO - LOJA - E CORES

VEJA AQUI MAIS ASSUNTOS NO SITE

Mostrar mais

Histórias contos

Aqui histórias, contos, sobrenatural, muitos baseados em fatos reais, outros ficção.

01) O homem misterioso– um conto sobrenatural.
Juliana acordou pela manhã um pouco abatida, não sabia explicar o que estava acontecendo, uma melancolia estranha e sem motivação, tudo parecia sem sentido, ficou depressiva, isso nunca tinha acontecido com ela, de repente ela teve uma visão estranha, viu um homem sentado em uma cadeira na sala de sua casa, o homem apareceu na visão sentado em uma cadeira muito antiga, as pernas não apareciam, ele era possante pela visão do tórax e os braços, devia ser bem alto, tinha a cabeça grande, os olhos azuis e graúdos, com um bigode ruivo, e no rosto um sorriso de vitória e debochado, aparentava ter uns quarenta anos, tinha uma expressão que era maligna, dava medo de olhar, e continuava olhando para Juliana, como se fosse um quadro, pois era estático, não tinha movimento, e assim continuo por muitos dias, aparecia sempre naquela cadeira antiga por instantes e  depois sumia, assustada com o fantasma Juliana sempre que ele aparecia corria para o jardim, pois podia ser só uma ilusão de ótica, ou imaginação, lá fora de casa se sentia mais segura, mas os dias continuaram passado e aquela imagem  do homem ruivo não saia da sua mente, e quando tinha a visão novamente sentia muito medo de ver aquela imagem que a aterrorizava, ele  estava sempre na sua mente perturbando a sua rotina, não dava mais para continuar, dai então Juliana fez a prece que lhe ensinaram para se livrar desse mal, assim que terminou sua prece e novena o homem ruivo do sorriso debochado desapareceu de sua mente, e a depressão sumiu, e a vida voltou ao normal.

02)Sentiu um arrepio de repente – história real e sobrenatural. 
Maria comprou um sítio há três anos, e mora nele, é um belo sítio, lá ela tem galinhas, porcos, vacas, e cultiva uma parte do terreno plantando várias culturas para seu uso, estava aposentada ela seu esposo Luis, então resolveram escolher a cidade de Taquara para morar, o local estava virado em matagal, mas aos poucos depois da compra eles conseguiram deixar o sítio em ordem, no local encontraram muitas cobras, uma noite após o jantar como de costume Maria saiu da cozinha e passou por uma área coberta espaço para festas para ir para o quintal, a noite estava bem escura, por isso levava consigo uma lanterna para clarear o caminho, ela  iria fechar o galinheiro para proteger as galinhas dos bichos predadores e cães, quando chegou na porta para sair para fora da casa sentiu um arrepio forte em todo o seu corpo, ficou assustada, por esse motivo lembrou o que sua mãe lhes dizia a respeito do assunto: - quando sentires um arrepio cuidado pois pode estar correndo perigo, então Maria parou e focou com a lanterna o chão que iria pisar, e inesperadamente em sua frente a um passo estava cruzando uma cobra jararaca enorme e bem lentamente, então entendeu o aviso que veio através do arrepio que sentiu, se ela não tivesse lembrado da história de sua mãe poderia a cobra ter picado e quem sabe até morrer, pois ela é uma cobra muito venenosa, se você sentir arrepios inesperados fique atento para poder se proteger do negativo, das emboscadas, há menos de um mês Maria teve seu cãozinho mordido por uma cobra venenosa, mas através das ervas tarumã e vasorinha do campo e um medicamento dado por um vizinho salvou seu cão segundo seu relato.

03)  A despedida do gato -  Mistérios da vida.
 Um gato, simplesmente um lindo gato de uma cliente, que amava seu bichinho de estimação, dona Ana adotara esse gatinho desde jovem, pois ele apareceu em frente sua casa, um gatinho abandonado por alguém sem coração, então dona Ana com pena do bichinho adotou-o, levou para dentro de sua casa, deu banho e arrumou uma caminha bem quentinha, na  época era inverno aqui no Sul, segundo relato de dona Ana, essa história foi contada a Fátima Zanin por Dona Ana em detalhes, isso quando a casa de dona Ana foi colocada a venda na imobiliária de Fátima Zanin imóveis há poucos dias, segundo dona Ana seu gato tinha oitos anos de vida, era como se fosse um membro da família, ele tinha um quarto que era só seu, este da foto aqui postada, como dona Ana só tinha uma filha e morava na cidade de Florianópolis, Santa Catarina, o quarto ficara vazio, e assim seu gato era que usava o aposento, era como um filho, bem foi nesse dia, quando fui fotografar os dormitórios da casa de dona Ana que conheci seu gatinho, ele estava deitado no cobertor xadrez, daí disse – que lindo gatinho , eu adoro animais,  dona Ana emocionada falou: - esse gatinho faz parte da minha vida, se perder ele vou sofrer, ele anda  um pouco adoentado, levei ao veterinário, agora ele está melhor, então disse a dona Ana: posso tirar uma foto do gato?, dona Ana disse: pode claro, mas já vou lhe dizer nunca conseguimos tirar foto desse gato, ele vira a cara, não deixa se fotografar,  é muito estranho, mas se conseguir vai ser algo estranho, então fui tentar tirar uma foto, que surpresa dona Ana se admirou, o gato não se assustou e deixou ser fotografado, enquanto eu falava palavras carinhosa com o animal.., bem daí depois da vistoria do imóvel me despedi de dona Ana, ainda do carro acenei para ela. Passados duas semanas dona Ana liga chorando, fui saber qual a razão, seu gato havia desaparecido, isto é acabou morrendo, foi então que ela pediu para mim enviar as imagens do gato, pois ela falou assim: - foi a primeira vez que meu gato olhou fixo para uma câmera,  e foi fotografado, preciso dessas imagens, eu amava demais esse gato, e chorou..., imediatamente fui ao arquivo, e enviei as três fotos do gato por email, em seguida ela ligou e agradeceu, que coisa estranha cometamos pelo telefone, porque será que esse gato se deixou fotografar naquele dia, seria premonição que iria partir e deixar sua dona, quis deixar uma lembrança, seu olhar, e porque deixou ser fotografado por Fátima Zanin?, dona Ana disse: acho que ele sentiu que você tem amor aos animais, ele gostou de você não fugiu como das outras vezes, dona Ana disse: vou guardar essas imagens de recordação, aqui mais uma história real contada por Fátima Zanin, mistérios, porque será que esse gato nunca deixava ser fotografado e fugia das câmaras, e naquela tarde se deixou fotografar, e ainda olhou para câmara, quis deixar uma recordação a sua dona, como retribuição há seu amor e dedicação a ele, quem sabe?, os animais também tem sentimentos e valorizam aos que tratam bem eles, são amigos inseparáveis.

04) Há muito tempo Luisa não vê um antigo namorado.
 Desde dois mil e sete Luisa não vê um antigo namorado, se nome é Ângelo, em uma certa noite ela Teve um sonho estranho, no sonho o telefone toca – ela atende: halo! Quero te dizer que eu te amo, depois dessas palavras a ligação cai, ela reconhece a voz e fica surpresa no sonho, na continuação do sonho Luisa vai até a cozinha e houve mais uma vez a voz de se antigo namorado ecoando, real, que diz agora: - vou viajar, eu te amo, no outro dia Luisa lembrou do sonho e ficou um pouco nostálgica, a noite uma pessoa conhecida dela e de seu antigo namorado veio visitar Luisa e  lhes contou a noticia, disse que seu antigo namorado iria viajar para o exterior por um tempo determinado, diante da noticia Luisa então contou o sonho para sua amiga Sandra, ambas ficaram intrigada com o sonho, pois realmente o sonho se tornou real, são experiência inexplicáveis, mas muitas vezes há sintonia entre muitas pessoas e acabam se comunicando através dos sonhos, daí fica a pergunta, Esse rapaz esqueceu Luisa, ou nunca a esqueceu apesar da distancia e o passar do tempo, quem sabe pode ser amor, mais uma história sobrenatural, relatada por pessoas confiáveis, por isso muitos sonhos podem virem acontecer, outros não, isso aconteceu relato real.

05) Imagens e lembranças - da casa, das viagens, das paisagens. Hoje fui vasculhar meus álbuns antigos, não tão antigos assim, mas ali revirando as folhas revi fotos, nelas muitas histórias e lembranças vieram átona, viagens, dias felizes que vivemos, de repente uma saudade bateu forte, e que saudade.., o temo passou, mas ainda lembro de você, nas imagens transparece nossa alegria, tempo feliz, nossa casa, nela nossos sonhos, as paisagens que ficamos contemplando e deslumbrados ficávamos diante de tanta beleza em viagens inesquecíveis, as cidades que conhecemos, muitas eram lindas, as praias, os hotéis, são lembranças, são muitas, por isso hoje relembrei de tudo novamente, já faz um tempo que nos distanciamos, mais ainda existem sentimentos que remanescem em momentos especiais, parecem serem para sempre, meus álbuns e minhas lembranças fizeram eu lembrar e voltar no tempo, faz parte da vida, viver o presente é importante, não deixe para depois, mas guarde as lembranças dos bons momentos, por isso hoje quando viajo gosto de levar minha câmara fotográfica, meu notebook para relatar minhas inspirações, e guardar, bem dizem relembrar o passado nos faz bem, principalmente quando foi bem vivido.

06)  O aniversário - conto sobrenatural. Nice chegou em casa depois do trabalho, como sempre quando chega aproveita para descansar um pouco, estava sentada no sofá, de repente ela ouviu uma voz que dizia assim: - o Aniversário do Antonio, e assim continuo aquela voz a atormentar Nice por vários dias, dizendo sempre a mesma coisa – o aniversário do Antonio, Nice era amiga de Antonio e sua esposa Márcia, apesar de não frequentar muita a casa por falta de tempo, mas durante o ano sempre arrumava um tempinho para conversar com o casal, intrigada com o fato resolveu ligar para o casal para ver se algo estava acontecendo, mas na conversa que teve pelo telefone com Márcia  ficou tranquila  pois nada foi dito ou comentado a Nice, parecia que não havia nenhum problema com o casal, então Nice ficou mais tranquila  os dias seguintes a voz continuou, não dava trégua surgia do nada em qualquer lugar, dizia sempre: - o aniversário do Antonio, não aguentava mais, então ligou, novamente para Márcia, e disse: - oi Márcia, vai ficar por casa agora? – vou, - então vou passar por ai daqui um pouco, desligou o telefone, arrumou-se, desceu até a garagem, estava um pouco apreensiva com o que estava acontecendo, seguiu de carro até a casa da amiga, que ficava na cidade de Porto Alegre, a mesma que Nice Mora, só em outro bairro, chegou foi bem recebida, daí em diante a conversa descambou para o lado espiritual sem explicação, Nice falou de seu mentor, diz chamar-se Augusto, e falou muito de seu esposo André que se fora dessa vida, um homem muito bom, e foi falando mais, deu exemplos de que o lado da espiritualidade existe, que não somos só matéria, falou sobre a fé, e mensagens de esperança, sem nada saber sobre o que estava acontecendo com o casal, conversa que muito encorajou Antonio a falar sobre o que estava acontecendo com ele, então ele não aguentava mais e falou para a amiga: - Nice estou muito angustiado com minha situação atual, pois estou com nódulos, e o médico disse ser grave, vou fazer exames em breve e já estão agendados, estou preocupado demais amiga, e as lágrimas lhe escorriam pelo rosto, e disse mais: – Amiga sua mensagem meu deu coragem e fé, quero lhe dizer que foi Deus quem lhe mandou aqui, você veio aqui trazer a paz. Nice ficou emocionada, mas não disse nada sobre a voz que estava ouvindo todos os dias para Antonio e sua esposa, guardou para si mesma, entendeu a mensagem, depois tomou um café com o casal, e nesse tempo encorajou ainda mais Antonio sobre a situação, logo depois antes de se despedir na saída ainda disse mais: - Antonio ligue para mim assim que fizer o exame, tenha fé que tudo vai dar certo e partiu. Passado uma semana, era terça feira, Antonio Baixou o hospital para fazer exames necessários, se sentia apreensivo a espera do resultado, estava para iniciar o exame, ele fechou os olhos e fez uma prece, de repente a porta se abre, chega dois médico a primeira coisa que ele vê é o nome no uniforme hospitalar do médico, o primeiro estava escrito Doutor Augusto, o mesmo nome do  mentor de Nice, e o segundo era André o nome do marido de Nice já falecido e muito bem feitor na vida, Antonio entendeu tudo, e acreditou que quem estava ali eram os médicos espirituais ajudando, sentiu coragem e certeza de que tudo iria dar certo, feito todos exames foi constatado que os nódulos eram benigno, saiu do hospital e a primeira coisa que fez quando chegou em casa foi ligar e contar a história para Nice, e ela ficou muito feliz com a noticia, também desde a visita ao casal Nice nunca mais ouviu a voz, missão cumprida, no final ambos entenderam o recado espiritual, aconteceu, sobrenatural, ou mera coincidência.

07) A  fazenda e seus mistérios -  fui avaliar o imóvel e contaram a história. 
 Hoje vou relatar uma história segundo o que ouvi no caminho, e aconteceu, quando fui avaliar o imóvel para venda, soube que Antonio foi o primeiro proprietário da fazenda que herdou de seus pais, viveu lá por muitos anos, depois devido uma crise financeira teve que vender, quem comprou foi seu Eduardo que contratou como empregados um casal, de nome Paulo e Yolanda, eles são empregados há treze anos na fazenda, novamente o segundo proprietário quer vender, quanto a isso tudo bem, então fui avaliar o imóvel, segundo relato nos últimos meses o casal e outro empregado da fazenda tem presenciado coisas estranhas, segundo a história que o casal contou o primeiro proprietário tinha muito amor pelo lugar, pelas vertentes, pelos animais que criava, e também preservava as matas e a fauna, seguido Antonio passava próximo a fazenda e fazia visitas para matar a saudade, mas alguns meses atrás o destino marcou sua vida com uma tragédia em uma estrada próxima a fazenda em um cruzamento perigoso, sofreu um acidente e veio a falecer mais tarde em um hospital em Porto Alegre, na hora que desencarnou os moradores da fazenda viram um homem em frente a casa, não falou nada, depois virou-se e foi embora rumo a mata em passos largos, os três funcionários da fazenda ficaram extasiados e sem reação, alguns minutos depois pegaram as lanternas e procuraram por vários lugares e nada encontraram, isso começou acontecer depois da morte de Antonio, naquela primeira aparição os funcionários não sabia do acidente e a morte de Antonio, só relacionaram o fato depois, e dizem que agora seguido eles vêem um vulto caminhando de costas para eles e desaparece na noite, e mais depois disso seguido também tem acontecido uma coisa estranha, quando alguns carros  tentam atravessar a porteira, ou param em frente dela, depois de desligar não ligam mais, pois acreditem aconteceu com o meu, não teve mais jeito, não ligava, empurraram para fora da porteira e nada, tentamos por um longo tempo e não adiantou, chamei o mecânico e não achou nada errado no carro, depois de um tempo ligou normal, ai o mecânico confirmou que isso aconteceu com outras pessoas que visitaram a fazenda, não entendi porque o carro sofreu essa pane sem explicação, os moradores acreditam que tem a ver com o sobrenatural, talvez não, mas aconteceu, o mecânico também tem ficado intrigado com isso,não tem explicação para o fato.

8) Um gnomo ou duende - uma imagem e uma história. Você pode acreditar ou não em fadas, Gnomos, Duendes ou outros seres que viveram ou vive na mata, quem sabe? mas muitas vezes acontecem fatos intrigantes, como a foto que estou mostrando, claro pode ser um arbusto que tomou forma ou não, semelhante a um gnomo ou duende, pode ser, pode não ser, já tenho fotografado outras vezes coisas estranhas, nunca fui ver a fundo outras imagens, são experiências interessantes, compartilho essa com vocês leitores dos blogs e sites Fátima Zanin, é bom sonhar ou imaginar, ou até pensar que possa existir um fundo de verdade em lendas contadas, ou contos da vovó que todos já escutaram contar um dia, e mais.., mas eu acredito nas experiências que tive, que são tantas, muitas me alegram, outras me estressam um pouco, mas é um dom, e valorizo muito, veja a pequena história: Fui visitar um sítio, chegando lá vistoriei a casa, o galpão, as vertentes, os jardins, e por último fui visitar o potreiro, lá tinha animais, mata, flores do mato, gostei do Sitio, seu Ademar quer vender, pois no momento está viúvo do segundo casamento, e para não se sentir muito só viaja os fins de semana para outra cidade, onde mora sua filha, mas como vai de carro o custo é grande, então ele prefere vender o sítio e comprar uma casa lá próxima a casa da sua filha, no interior do estado do Rio Grande do Sul, e continuando fui terminar de tirar as fotos da divisa com o vizinho lindeiro, no lado norte, agora revendo as imagens para postar no site, eu e meus colegas verificamos uma pequena imagem estranha, parece um gnomo, ou duende, achamos interessante, como disse poder ser um arbusto ou uma flor do mato que tomou forma, mas confesso que adorei a imagem, é bom sonhar e imaginar que os contos da vovó  podem ser verdadeiros, sabemos que aprendemos muito com eles, e que as histórias e experiências nos sirvam para repensar, refletir, e quem sabe que  seres da mata ou de outra dimensão possam estar por ai, imaginários ou não, depende de cada um, essa imagem é  simples mas serve para refletir e sonhar com os pequenos seres chamados gnomos ou duendes, quem tem experiências sobre o assunto pode acreditar, as moradas são muitas.. , histórias reais ou imaginárias quem sabe, mas nos fazem sonhar, gnomos e duendes seres da mata, muitos já tiveram experiências com esses seres mitológicos, será que eles existem? Ou existiram um dia talvez, ou é pura imaginação.

9) Reencontro.
Te reencontrar foi bom, a saudade era imensa, emoções contidas, ah são tantas..., como foi bom te reencontrar, mas se amanhã se for?...e daí, hoje sou feliz, isso é o que importa, mas foi tão bom te encontrar, já era tempo, um amor não tem fim, não tem tempo, ele sente saudades, tem esperanças, assim foi, é, e será nosso amor, que bom te reencontrar, essa espera longa.., já era tempo, se bem que não vi, ou não percebi o tempo passar, coisas do amor e do cotidiano, fiquei esperando, resisti o tempo, as pressões, a descrença, porque te amo, que bom te reencontrar, se vens é porque queres, porque não conseguistes esquecer, um amor de verdade não se perde por ai, por isso te esperei, me esforcei e não consegui esquecer você, nem você conseguiu me esquecer, mesmo que os mares, continentes, lugares, ou outras impossibilidades  nos impeçam de seguir, mesmo assim será impossível esquecer, um amor assim, ele é para sempre, um reencontro por amor vale a pena, mesmo que demore muito tempo, que bom te encontrar, guardarei em minhas lembranças esse reencontro, anotei no meu diário hoje é sábado dia.., do ano dois mil e..., te reencontrei, nesse lugar, bem movimentado, que foi combinado, cheio de pessoas  que vão e vem e cruzam por nós sem nos perceber, e depois...,. Conto em forma de poesia sobre uma histórias por ai, que pode ser a sua, ou a de outra pessoa, ou sei lá,  são histórias de amor que acontecem por ai, o amor muda as pessoas, quando você encontrar seu amor você vai entender que um amor de verdade pode não ter fim, ele resiste o tempo, as barreiras, não é fácil esquecer, quando o amor é verdadeiro e valeu, não desista vá ao encontro de seu amor .

14) Minha casa e minhas lembranças.
 Enquanto a chuva caia, da janela Maria contemplava e lembrava os bons tempos da infância que vivera ali naquele sítio, do seu quarto tinha a vista do lago que dava para o fundo da casa, e sempre que chovia ela ficava algum tempo olhando a chuva cair, e assim ajudava o tempo passar, ali no lago  brota uma vertente muito forte, ela olha e quer aproveitar bem a imagem, pois amanhã sua família irá partir de mudança para outra cidade, deixar seus amigos, o povoado, e sua bela moradia machuca o seu coração, enquanto os pingos caem e movimenta as águas do lago com pequena ondas ela contempla a bela visão, o quero-quero e a saracura ao redor cantam anunciando a chuva que já está caindo la fora, ela começa já a sentir uma profunda e intensa saudade do lugar, a janela já está embasada, pois Maria respira muito perto há algum tempo, então ela sai do quarto e vai para a cozinha, o café está pronto, a primeira visão do ambiente são as caixas, que já estão ficando prontas para a partida de amanhã, ela para em frente, pensa que amanhã muito longe vai estar, e outra vida começar, então em seus pensamentos Maria deseja que o próximo morador cuide bem do lugar, fica triste e apreensiva só em pensar que alguém possa destruir tudo aquilo que seu pai conservou até hoje, as vertentes, o lago, o riacho as frutíferas, e a mata nativa, de repente se perde do pensamento, é sua mãe Joana, ela a chama para sentar-se à mesma e tomar seu último café naquela varanda, depois que a chuva de verão passou, Maria colocou suas botas e foi passear pelo sítio para se despedir da bela natureza, quando chegou no lago próximo a casa que tem visão da janela de seu quarto, se ajoelhou e ficou contemplando o lago, levava consigo a ração dos peixes, logo atirou um pouco de para os peixes e alguns emergiram, ela sorriu, depois emocionada uma lágrima caiu pelo rosto, mais tarde voltou para casa para o almoço, muito calada e distante, depois foi  arrumar sua mala para a partida e novo ciclo iniciar, Maria reflete naquele instante, que a vida é assim, nada é definitivo, convém aceitar as mudanças, e seguir o destino, no outro dia antes do sol nascer tudo pronto, Maria estava bonita, sua roupa era toda de tão azul, usava sandália brancas, seu longos cabelos cor de mel ainda mais realçavam sua beleza, quis vestir-se bem para se despedir a altura dos dias que ali viveram.

16) O cãozinho chamado tuchinho.
Tuchinho nasceu no dia 23 de dezembro, raça pequena, eram dois irmãos quando completaram três meses, foram doados a duas pessoas que amam os animais, Tuchinho era seu nome por ser bem gordinho, quando Ellen o adotou, comprou a caminha, ração da melhor, e vacinou o filhote, até dormia em sua cama, era esperto, ela considerava o cãozinho um filho, dava lhe todo o mimo e cuidados necessários, postava fotos na internet, Ellen relatou que todos o achavam lindo, tinha um olhar forte e misterioso comentavam os que conheceram o cão, mas uns dois meses depois de adotar o pequeno Tuchinho, ele adoeceu, Hellen, ficou triste, levou ao veterinário duas vezes, foi medicado, ficou na clinica veterinária para tomar soro e medicamentos, na última vez que tuchinho voltou continuou a enfraquecer, dormia ao lado de Ellen no quarto em sua caminha, segundo relato de Ellen, a veterinária disse que nada mais podia fazer, Tuchinho nem levantava mais praticamente, até que em uma noite sem explicação levantou-se e foi até a beira da cama de Ellen, e se ergueu com as patinhas, então Ellen pensou que ele estava ficando melhor, então o pegou e colocou a seu lado, ele adormeceu, mas ele queria se despedir, daí depois de adormecer ele parou de respirar, Ellen chorou muito, dois dias depois foi andar na sua rua para espairecer, quando de repente avista um cãozinho, era igual a Tuchinho, ela ficou impressionada com o acontecimento, e voltou depressa para casa, e foi contar o fato a sua mãe, depois retornou ao local e nada mais encontrou, então Ellen pensou, terão os animais alma, energia especial, ou seria uma mera coincidência, sobrenatural ou imaginação.

Correções serão feitas posteriormente, contos e histórias por fatima Zanin.

10) Te amo.
 Eu Te amo,
te  amarei sempre,
Sei que será impossível esquecer você,
e você de mim,
mesmo se um dia um de nós tiver que partir,
juntos e felizes estamos,
nunca pensei encontrar um amor assim,
tudo foi simples e rápido demais,
emoções  todos os dias vivemos,
elas parecem únicas,
ah! o tempo até parece passar mais rapidamente,
que bom levantar e te encontrar na varanda,
o aroma do café está no ar,
a mesa a minha espera pronta,
la fora olho o sol que já nasceu algum tempo,
ainda mais linda deixa a vida,
contemplo a natureza,
que linda,
é um privilégio,
as folhas balançam pela leve brisa do vento,
no jardim abaixo as flores enfeitam ainda mais a natureza,
lá  além  do jardim a vertente provocando seu ruído,
pois ontem a chuva de verão chegou por aqui,
tudo isso e você aqui,
que bom amar assim,
mesmo um dia se longe estiver lembrarei os momentos,
hoje é domingo,
mais tarde irei caminhar no campo,
depois voltaremos para a casa,
pena que tudo passe rápido.

11) A nave  estranha cruzou sobre o sítio.
Era fim dos anos noventa, nesta época um fato estranho acontece no sitio de Ana Maria onde toda a família presenciou, neste sábado como era de costume a família de Ana Maria deixou Porto Alegre para descansar com seus filhos em um local mais espaçoso que era um sítio que ela tinha localizado na grande porto alegre, pois na época a família  morava em um apartamento, alem do mais o casal gostavam de natureza, nos fins de semana também recebiam amigos e outros parentes que vinham para visitá-los. Foi assim: Ana Maria - Carlos, vamos logo, quero chegar antes da noite, Carlos - tudo pronto aqui, é só pegar a bagagem, as crianças também já estão prontas, Ana Maria- tudo bem, chame o Marcelo, e o Augusto, vamos, e assim entraram no carro e rumaram como sempre para o Sitio que ficava situado na região metropolitana a uns 30 Km de Porto Alegre, a viagem foi normal, exceto as criancices de Marcelo e Augusto, isso já era rotina de todos os fins de semana, as coisas sempre aconteciam dessa maneira, Ana Maria - chegamos, ainda bem que da tempo de fazer algumas coisas ates que a noite chegue, Ana Maria desce para abrir o portão, a cachorrinha bilica vem e  recepciona sua dona, é uma cachorrinha especial que vive no sítio desde a sua aquisição, Ana Maria adora animais, quando ela não estava no sítio dona Eloá, vizinha do lado direito de quem entrava no sítio dava a ração para bilica, é um  animal especial que as crianças curtem muito quando chegam no sítio, na chegada tudo está normal, Ana Maria comenta - Dona Eloá não está em casa, deve ter ido ao mercado, então desfaz as bagagens e começa organizar as coisas, são 5 horas, assim que termina de organizar suas coisas abre janelas e portas da casa para ventilar, a casa da frente para o poente, olha e vê que o sol ainda não havia desaparecido totalmente no horizonte, como era um local alto a paisagem era muito bonita, de lá da casa podia se ver ao longe outras cidades próximas ao local, a casa tinha duas entradas pela frente, ou seja duas portas e  mais duas janelas de frente, e um vitro, a casa estava toda aberta como também a parte dos fundos, as crianças brincavam na parte da frente da casa, Ana Maria saiu da casa naquele momento e foi  molhar as flores, Carlos estava na varanda sentado tomando seu chimarrão com visão para fora, observando o por do sol, neste momentos os últimos raios estavam desaparecendo, uma bela imagem, começava a anoitecer, mas ainda se tinham uma boa visão do local, de repente em poucos segundos tudo acontece, um enorme clarão cai sobre a casa, uma luz intensa  cada vez mais forte, Ana Maria e toda família presenciam o acontecimento estranho,  em seguida cruza uma pequena nave cor chumbo, com um tamanho aproximado de 2 metros de altura por 2 metros de comprimento, com formato  em forma arredondada de cone com uma espécie de coluna para sustento em forma horizontal, uma em cada lado na parte onde um avião comum tem as assas, a deste objeto era parecido com colunas, não tinha barulho de motor convencional, só o assovio do contato com o ar, quando ele apontou, a  luz em  direção a casa ficou ainda mais forte assustadora, mas era tão forte que deixou a casa dentro com claridade mais forte que luz elétrica normal, as crianças levaram um susto, mas Carlos tentou acalmar as crianças, Ana Maria chegou a ficar com tremedeira nas pernas, Carlos, Ana Maria e as crianças acharam o acontecimento como fora do comum, aquele objeto que não foi identificado na hora eles nunca tinha visto antes e nem uma luz igual com tal intensidade daquela, ainda mais em um sítio, como pode o pequeno avião cruzar pouco acima das cabeças e raspando o telhado e não bater em nada e depois desaparecer com tanta velocidade, e a luz tão clara que jamais tinham visto igual, Ana Maria e sua família nunca tinha visto um acontecimento extraordinário como aquele, por certo ficaria em suas lembranças para sempre, disseram também  que o objeto não identificado teria uma cor parecida como um tanque de guerra com algumas diferenças já detalhadas aqui. Alguns minutos depois olharam para o céu em direção ao leste em um município vizinho e viram pairando no céu uma pequena luz, então eles acharam que só podia ser a pequena nave cheia de luz que havia cruzado há poucos minutos por lá, depois desapareceu, lendo os jornais da semana Ana Maria soube que luzes estranhas no céu foram visualizadas no sul do Estado, e na cidade acima citada e vizinha também foi visto algo estranho no céu, Ana Maria ficou intrigada e teve certeza então  disse: - só pode ser apequena nave do sítio, um fato sem esclarecimento até hoje, na época Ana Maria ficou com medo de que eles a tivessem fotografado ela junto com sua a família, e que aquela luz pudesse prejudicar a saúde da família, acabou vendendo a casa com medo que eles pudessem passar por lá novamente. Este fato foi guardado em segredo para não dar margens a falatórios, e preservar a família, pois a maioria não acreditaria na história, Já se passaram uma década, mas o menino Augusto  não esqueceu o que aconteceu naquele entardecer no sítio e nem Ana Maria, ela que não acreditava em Alien, extraterrestres, ou disco voadores hoje acha que existe outros portais e que  outros seres estão por ai também nos pesquisando. Ana Maria hoje vive no mesmo município.
Relato real, as identidades serão mantidas em sigilo a pedido.

12) Distante.
Parece distante, mas muito,
Mas muitas vezes tão perto,
Um sonho possível se quisermos,
Mas falta coragem,
E assim a vida continua,
Você ali,
Eu aqui,
Saudade de você.

13) Ontem.
Ontem já se foi,
Dias de alegrias e tristeza muitos tiveram,
Faz parte da existência,
Mas lembrar que hoje é o presente,
Por isso viver o hoje é importante demais,
Amanhã talvez.
14) O Guardião dos tempos.
 Há muitos e muitos anos as guerrilhas entre tribos e povos eram constante, o guerreiro do fundo do rio vivia em uma cidade que era muito invejada e cobiçada por outras aldeias e povos menos adiantados, Luzzillania, era uma cidade avançada, vivia a frente de seu tempo, lá havia igualdade social, ali se dividia as tarefas tudo conforme as aptidões, o chefe da nova nação emergente dirigia a cidade com amor, igualdade e firmeza, e visava sempre o bem estar de seu povo, recebia visitas de outras tribos e nações, era cordial, e pregava a paz, apesar de ser uma das cidades da região mais desenvolvida não se preocupava muito com a defesa do seu território, ou exércitos, Urubutá o rei,  tinha um belo filho, que tinha vinte oito anos e estava sendo preparado para seguir a frente do governo de seu pai, seu nome Eufratt, um belo jovem justo, amigo e também muito cobiçado pelas mulheres da cidade e vizinhanças, respeitado pelas aldeias e povos mais adiantados, era justo, por isso era amado pelo povo, Luzzilania era a cidade mais prospera da região, era banhada por rios e lagos com farta pesca, fauna e flora,  muito preservada, os conselheiros e estudiosos da nação possuíam conhecimentos práticos das ervas, chás, flora, fauna, e agricultura, sabiam preservar o meio ambiente para que nada se esgotasse, por isso tinham fartura, e guardavam esses segredos de épocas experiências adquirida com seus antepassados, a população vivia bem, não haviam revoltas, fome, nem misérias, em quanto isso outros povos se preocupavam mais com guerras, por isso treinavam seus exércitos para conquistar cidades e destruir, enquanto Luzzilania vivia seu auge, a cidade também tinha belas  praias, originárias do rio que  fazia divisa e cruzava o centro principal, também enfeitava a entrada da cidade que servia como lazer e cartão postal, Luzzillania recebia visitantes de outras cidades que vinham para conhecer o local pela sua beleza, quando as cheias chegavam o rio espalhavam o adubo orgânico nas lavouras e assim as colheitas eram fartas, era um povo que valorizava suas crenças, seus deuses, costumes e a democracia, até que um dia começaram as ameaças, e depois as guerras, Luzzilania foi  cobiçada pela sua posição estratégica, e seu desenvolvimento social e econômico, tribos e cidades vizinhas se uniram e iniciaram uma guerra, e aos pouco foram destruindo tudo, e depois de muitas tentativas tomaram a cidade, implantaram ali um novo governo com taxas exorbitante para os impostos, os conselheiros e ministros foram substituídos, parte da população enfrentou a pobreza, o rei Urubatá acabou destituído pelo inimigo junto com sua família, e desapareceu sem deixar vestígio, Eufratt o filho do rei lutou até o fim, mais tarde foi capturado em uma emboscada nos arredores da cidade, e depois de tudo jogado no fundo rio que banhava a cidade, levou consigo seus sonhos, inconformidade, e a impotência de não poder fazer mais nada, nem para ele e nem para seu povo, e assim se foi  prematuramente e de maneira tão triste e brutal, Eufratt fez sua morada nas profundeza do rio e lagos de Luzzilania, ficaram suas viúvas tristes e inconsoláveis com a partida de Eufratt, mais tarde dizem as lendas que sempre que os pescadores e barcos de transporte navegavam o rio e o lago aparecia seguidamente  um jovem vestido de guerreiro nadando no rio, ou pairando sobre as águas, e desaparecia misteriosamente, diziam ser Eufratt um guerreiro que há muitos e muitos anos segundo histórias que foi passada de geração em geração teria desaparecido no rio, depois de lutas com outras cidades para defender seu povo e sua cidade, e que por  nuca ter tido sua paz espiritual, vivia ali a espera da libertação, e assim aconteceu: passou-se muitos e muitas gerações, os governantes mudaram, revoltas existiram, mas a cidade continuo crescendo a beira do rio magnífico, mas em uma certa época de verão a filha do rei foi pescar, como fazia sempre, adorava pescar, muitas vezes acompanhava seu pai nas pescarias de barco ou caminhando a beira do rio, mas esse dia Uanna foi pescar sem seu pai, quando chegou a beira do rio colocou a isca no anzol e lançou a espera no rio, prendeu o fio em um arbusto, e continuo andando nos arredores, sentou-se sobre uma pedra e permaneceu mais algum tempo ali, em seguida foi ver sua espera, tirou da água e nada tinha, sua isca estava pela metade, então trocou de local, foi para  outra área mais profunda do rio, lançou sua espera , logo em seguida a linha puxou com muita força, era um peixe muito grande, ficou assustada, pois o peixe se debatia muito, como tirar do anzol, assim que foi possível ela libertou o peixe com facilidade e surpresa, e voltou-se para o outro lado para chamar seu ajudante e acompanhante, gritou e nada, ele havia se distanciado de Uanna, mas quando ela se volta para o peixe o que vê é muito espantoso, é um lindo homem, vestido de guerreiro que lhe sorri e disse: Eu sou Eufratt, não tenha medo, vivo aqui nas profundezas do rio há muitos e muitos anos, jogaram me aqui injustamente após muitas lutas em minha cidade, e a partir de agora você me libertou, venho para fazer justiça e libertar os que injustamente sofrem ou são perseguido pelo mal, serei em breve um guardião do bem, mas preciso ir a sua casa por uma semana como hospede, depois partirei para sempre, pois fui liberado por um tempo determinado para que possa me libertar deste mundo e voltar em paz, Uanna logo perdeu o medo inexplicavelmente e encantada com o jovem respondeu - Vou fazer o que me pedes, mas porque isso se você não é real?, Eufratt responde - eu precisava voltar aqui, rever minha cidade, ser libertado do mal que me aprisionou e assim poder partir em paz, fazer justiça, ajudar os que precisam, deram me essa permissão por uma semana somente, depois partirei e nunca mais voltarei, assim Uanna foi convencida, arrumou um aposento na casa real, Eufratt ficou uma semana para rever aquela que há muitos nos fora sua cidade e foi tomada a força, andou pelo rio pelas florestas, pela praias originárias do rio e lagos, visitou todos os locais que esteve em vida, sempre em companhia de Uanna uma bela princesa de personalidade forte, verdadeira, e solidária com o povo, Eufratt viveu todas as emoções possíveis nesse curto tempo em companhia da bela princesa, depois se despediu de Uanna  a beira do rio e disse: Sentirei saudades, vim autorizado pelos guardiões do bem, tenho que cumprir, agora serei um novo guardião para a humanidade, estou feliz, mas não esqueça que existem os guardiões do mal,  também eles podem vir para destruir em qualquer tempo, fazer mal, mas haverá sempre o bem para combater e ajudar, depois se despede da princesa, um beijo, e se afasta, caminha em direção ao rio e desaparece novamente no fundo das águas profundas do rio de onde veio, Uanna ficou triste, mas entendeu que tinha que ser assim, Eufratt não tinha suportado as perdas e aprisionado no fundo do rio seu espírito viveu por muitos e muitos anos,  inconformado com as perdas na existência e injustiças que sofrera, sentia a necessidade da voltar, queria sentir e rever o que perdeu na vida, para se desapegar e viver a espiritualidade em paz nos tempos, como era merecedor por ter feito o bem na terra, então foi autorizado pelos guardiões superiores a voltar, e viver o tempo que havia sido dado pelos seus superiores, depois voltar na condição de espírito  que veio, em troca depois sua missão seria ajudar os que precisam, os que são injustiçados, mostrar a verdade, e castigar os maldosos, Eufratt voltou de forma mágica, só a princesa podia estar e ter contato com ele, as outras pessoas que conviviam com a princesa na cidade e no reino nunca viram nada, somente Uanna poderia ver e sentir, então o libertou das águas, o sentiu como mortal, e depois Eufratt partiu como espírito novamente, depois disso a princesa sempre ia jogar flores no rio em demonstração de amor e saudade ao guerreiro do fundo do rio, mais tarde se casou  com outro e foi morar em um novo reino, ficaram as lembranças experiências  vividas, e Eufratt nunca mais apareceu para os pescadores e barcos que circulavam pelo rio e lagos da cidade.
Contos e histórias – ficção - real - além da imaginação.
Correções serão feitas posteriormente.
Fatima Zanin.
Entretenimento.
Aninha e o lobisomem baseado em um relato real
: Aninha disse que tinha cinco anos na época, morava no interior, e ouvia falar muito em lobisomem, até que seguidamente nas noites de lua cheia, em sua residência, segundo seu relato o lobisomem vinha até o pátio de sua casa, diziam que esse tal de lobisomem seria da vizinhança, e seguidamente vinha espreitar sua casa, quando ele vinha chegando fazia um barulho estranho com as orelhas, era uma espécie de estralo, até que em uma certa noite Aninha insistiu com sua avó dona Hermínia para ver esse tal de lobisomem, e se realmente existia, ou era invenção, assim que ouviu o barulho que seria o lobisomem chegando, como era pequena pediu para sua avó pegar no colo e ir até a janela, e da li através de uma fresta que tinha olhar para fora, e ver se conseguia ver esse lobisomem, então se aproximou da fresta da janela, e para espanto seu, viu um enorme cachorro preto, com olhos de fogo e dentes brancos com a boca arreganhada, ele ficou olhando para ela, parecia que estava vendo Aninha, apesar de ser um pequena fresta, depois ele foi para o lado do galinheiro, e ela o perdeu de vista, então Aninha passou acreditar que lobisomem existia, daí, depois do susto perguntou sobre quem poderia ser o lobisomem, pois a lenda diz que seria um homem que se transformava pela magia em um cachorro, e saia nas noites de lua cheia a vagar pelas redondezas, e se tornava perigoso, então dona Hermínia disse: - è um senhor da zona aqui, o seu nome é Marcelino, um homem considerado muito bom ali na localidade, mas segundo a lenda diziam que nas noites de lua cheia virava lobisomem, e todos comentavam esse assunto, Aninha conhecia o homem, pois era amiga das filhas dele, imaginação, ou coincidência, ficção, não se sabe, essa história foi contada há pouco a autora. Relato real.

16) A  vigem e o encontro com a camponesa vidente.
Há alguns anos uma jovem veio do interior, logo foi admitida em uma Grande empresa na capital, ela se chamava Julia, logo o dono da empresa se apaixonou pela jovem ele era mais velho oito anos de Julia segundo relato, daí em diante ela era tratada como uma princesa, por isso foi alvo da inveja e raiva por muitos, foi apelidada de Princesa, na empresa tinha um gerente que gostava muito de Julia mesmo ela nunca ter lhe dado nenhuma oportunidade, ou esperança qualquer, mais ele era insistente e ardiloso, e tinha ajuda de uma mulher juntos muito atentavam contra Julia, mas  nunca conseguiam seus objetivos que era prejudicá-la, o  coração de Julia tinha um dono e o único, seu Patrão, ela era jovem, simples, bonita, e ingênua, uma típica interiorana, não percebia quem era amigo ou inimigo, um dia uma amiga da empresa convidou-a para um jantar, festa de aniversário, então para não fazer feio ela foi a festa de aniversário da sua amiga, ou colega de trabalho para se dizer melhor, isso aconteceu em uma noite de sexta feira, após Julia sair da faculdade rumou para a festa, chegando lá tinha muitos colegas de trabalho, incluindo o gerente apaixonado, ali foi a chance de ele ficar incomodando Julia, aproveitou para conversar com ela, convencer Julia de que se ela não quis ele como namorado mas que a amizade continuava, disse que entendia e aceitava queria ser amigo apenas, Julia acreditou, só que essa aproximação era intencional, ele queria uma prova testemunhal, para dizer que fora da empresa Julia conversava com ele, como naquela festa, ou seja mantinha uma relação, mesmo sendo uma simples conversa naquela noite serviu para fazerem fofocas, para dizer que eles estavam juntos ali na festa, era um engano somente, mas as aparências enganam muito, o seu namorado soube no outro dia e acabou o namoro por desconfiança devido os boatos, por isso Julia resolveu sair da empresa, por tristeza, decepção e por seu amor desconfiar dela, saindo da empresa Julia tirou uma férias e foi viajar, tentar amenizar a saudade e a tristeza, um dia na viagem que fez Julia estava caminhando em uma rua, naquele dia encontrou uma senhora com uma cesta no braço e estava Coberta com uma toalha branca ela se parecia com uma típica camponesa ainda jovem, ela parou e disse: Moça bonita, você está triste? Julia parou e disse: Não, a camponesa respondeu: Está sim, a moça bonita saiu do lugar onde trabalhava, gostava, era feliz, mas deixou o coração lá, saiba que mesmo moça bonita ter partido vai continuar sempre lá, não há quem tire moca bonita de lá, e do coração de quem ficou, Julia ficou espantada com a conversa da camponesa vidente que sem saber de nada tudo :ali relatou na conversa, Julia ficou sem ação, mas de repente a camponesa falou novamente e disse: Moça bonita  tem no caminho o coração, o trevo, e o cupido, não esqueça, então Julia ficou ainda mais surpresa, a camponesa  sorriu e depois se despediu, e continuo caminhando pela rua e desapareceu, Julia nunca mais a viu durante o tempo de férias que passava nesta localidade, os anos passaram Julia se formou, encontrou um novo amor, e foi bem sucedida no trabalho, e nunca mais esqueceu a camponesa vidente.
Uma história real segundo relato.

PESQUISAR ESTE SITE

Vídeos natureza. - o nascimento das duas pombinhas veja o vídeo e mais assuntos

Postagens mais visitadas deste blog

Postagens mais visitadas da semana

PESQUISAR ESTE BLOG

Total de visualizações de página

MARCADORES DO SITE VEJA

Mostrar mais

OBRIGADA POR VISITAR ESTE SITE.

Obrigada por visitar este site, volte sempre.